Meteorologia Serra Estrela - Vitor Baia

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Governante diz “não” aos túneis da Serra e à abolição de portagens

O secretário de Estado das Infraestruturas, Guilherme W. d’ Oliveira Martins, afirmou hoje que a construção de túneis na Serra da Estrela não é uma questão em cima da mesa e reiterou que as vias existentes são suficientes.
“É um investimento como qualquer outro. Evidentemente não está em cima da mesa, esse investimento. A circulação é feita e nós temos vias rodoviárias que são suficientes”, afirmou.
O secretário de Estado falava no Centro de Limpeza de Neve, nos Piornos, à margem de uma ação promovida pela Infraestruturas de Portugal e que teve como objetivo alertar e divulgar os cuidados de segurança que os automobilistas devem adotar quando visitam a Serra da Estrela, designadamente nesta época de Carnaval em que se espera um grande afluxo de turistas à montanha.
Questionado pelos jornalistas quanto à reivindicação de alguns autarcas para que se construam túneis que permitiriam melhorar as condições de atravessamento da Serra da Estrela, Guilherme W. d’Oliveira Martins afastou essa possibilidade, salientando que “o investimento rodoviário está feito”.
Por outro lado, frisou que a estratégia tem passado por dotar o Centro de Limpeza de Neve dos meios necessários.
O governante também considerou que ainda “é cedo” para falar na hipótese de a construção dos túneis vir a ser inscrita no futuro quadro comunitário de apoio.
“Há um programa nacional de investimentos que está a ser discutido e analisado internamente ainda pelo Governo e, portanto, é cedo para falar nesse tema”, apontou.
No que diz respeito à restante rede rodoviária de acessibilidades da Serra da Estrela, nomeadamente à conclusão do IC6, IC7 e IC37, referiu que as várias propostas rodoviárias que são apresentadas pelas entidades públicas e privadas também “serão analisadas” no âmbito dos investimentos a inscrever no quadro comunitário de apoio, o Pós-2020.
Guilherme W. d’Oliveira Martins também não deixou promessas quanto à reivindicação regional relativa à abolição ou, pelo menos, de uma nova redução das portagens das autoestradas do interior, salientando que “este Governo já reduziu as portagens”, logo no primeiro ano.
“O Governo prometeu fazer essa redução e fê-la na altura devida”, frisou.
Adiantou ainda que serão iniciadas “muito em breve” as obras da Linha da Beira Baixa no troço Covilhã /Guarda e que o calendário será cumprido.
Presente nesta sessão, o presidente da Câmara da Covilhã, Vítor Pereira (PS), mostrou-se satisfeito com a perspetiva de as obras arrancarem e garantiu que o município continuará a lutar pela “prioridade das prioridades” que é a abolição das portagens.
Fonte: J.Fundão

quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Maciço central da Serra da Estrela vai ser ligado por fibra ótica


A Altice Portugal vai ligar seis concelhos do maciço central da Serra da Estrela, num investimento inédito de vários milhões de euros.

“Este projeto que, tem agora início, vai criar infraestruturas onde nunca houve, permitindo a ligação destas populações às autoestradas da informação, algo que nunca aconteceu em várias décadas”, adianta hoje em comunicado a Altice.

Seis concelhos (Seia, Covilhã, Manteigas, Gouveia, Fundão e Oliveira do Hospital) e perto de meia centena de freguesias, vão ser ligados através de fibra ótica da Altice Portugal, num “verdadeiro projeto de interesse público, potenciando a criação de valor nestes territórios e na região como um todo”.

Para o presidente da Câmara Municipal de Seia, “este é um investimento absolutamente histórico, porque vem dotar esta região da Serra da Estrela de novas condições, que tornam este território ainda mais atrativo”.

Filipe Camelo considera que “esta aposta, realizada num território de baixa densidade populacional, evidencia o sentido de responsabilidade e equilíbrio da Altice, lançando novos investimentos em função das necessidades do País e não exclusivamente assente em critérios de rentabilidade.”

O autarca defende a importância deste investimento, uma vez que “para além de permitir aos cidadãos o acesso a um conjunto de serviços de telecomunicações cada vez mais completo, fiável e resistente, as empresas passam a dispor de novas ferramentas que favorecem o contato com novos modelos de negócio, elevados ganhos de eficiência, otimização de recursos ou a expansão para novos mercados, absolutamente vitais para a melhoria da competitividade do tecido económico instalado e a captação de novas iniciativas empresariais”.

Também o presidente da Câmara Municipal de Gouveia destaca o impacto do investimento na região: “o investimento que a ALTICE se propõe levar a efeito é fundamental para que territórios do, denominado, interior, possam, finalmente, começar a ter algum tratamento de igualdade em relação, neste caso concreto, à qualidade e rapidez das comunicações”.

No entender de Luís Tadeu Marques “é primordial atrair investimento para projetos a desenvolver em Gouveia, que criem postos de trabalho e que permitam fixar e atrair jovens para empreenderem no concelho, as telecomunicações e a qualidade e rapidez das mesmas são ferramentas essenciais para o sucesso dos seus investimentos. Está, por isso, de Parabéns a Altice por ter tomado a decisão de instalar fibra na maioria das freguesias do concelho de Gouveia”.

“Uma aposta da empresa que faz do investimento em zonas de baixa densidade populacional uma prioridade, como são disso exemplo” os Call Centers da Guarda, Covilhã e Castelo Branco, na mesma região.

O presidente executivo da Altice Portugal afirma que a empresa “não se rege por critérios exclusivamente comerciais, investindo em todo o país, procurando mitigar as desigualdades territoriais, dotando todos os portugueses de acesso às autoestradas da informação e a serviços de telecomunicações da melhor qualidade”.

Na opinião de Alexandre Fonseca, a Serra da Estrela é “um dos pólos turistcos mais marcantes do nosso país, único local em Portugal continental onde neva regularmente, que conta com a visita de milhares de turistas nacionais e internacionais. Por isso mesmo, a Altice Portugal faz questão de valorizar estes territórios dotando-os de fatores que contribuam significativamente para o aumento da sua competitividade”.

Um investimento que é visto pela Altice Portugal como de longo prazo, já que uma das preocupações é “a educação dos mais jovens, que passam agora a dispor de uma uma ferramenta que até agora não tinham. Este é um passo dado também pelas crianças da Serra da Estrela”.

Fonte: Centro TV

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Mafalda Arnauth e Amor Electro na ExpoEstrela em Manteigas

De 10 a 13 de fevereiro, o Município de Manteigas promove mais uma edição da ExpoEstrela – Mostra de Atividades e Feira de Artesanato.

Criada em fevereiro de 1993, com a designação de Mostra das Atividades Económicas do Concelho de Manteigas, a Câmara Municipal de Manteigas continua a promover anualmente, no fim de semana de Carnaval, a feira hoje designada Expo Estrela – Mostra de Atividades e Feira de Artesanato. Este certame reúne cerca de 70 expositores repartidos por Entidades, Associações, Artesanato, Comércio, Produtos Regionais, Industria e Restauração. Este evento tem vindo a ganhar, ano após ano, uma importância na valorização e promoção do nosso território. Por outro lado esta Feira pretende acima de tudo dinamizar o tecido socioeconómico e cultural do Município, numa época – Carnaval – em que a região da Serra da Estrela é visitada por muitos turistas.
Para além do certame, a ExpoEstrela tem um programa cultural vasto e variado tendo como principal objetivo a promoção e divulgação dos valores culturais locais.
No programa da edição deste ano da ExpoEstrela encontram-se os artistas Mafalda Arnauth (dia 10), David Antunes & The Midnight Band (dia 11) e os Amor Electro (dia 12). O dia de terça-feira é reservado ao Desfile de Carnaval e à prova de Queijo Serra da Estrela.
Pode contactar a Câmara Municipal de Manteigas através do seguinte número: 275 980 000.
Fonte: Beira.pt 

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Autarca de Manteigas defende construção de túneis na Serra da Estrela

Esmeraldo Carvalhinho defende a construção dos túneis de atravessamento da Serra da Estrela, na ligação Covilhã-Manteigas-Seia-Gouveia.

O presidente da Câmara de Manteigas reafirmou, na passada sexta-feira, a necessidade da construção de túneis na Serra da Estrela, considerando que o processo deve envolver os municípios da região e as Comunidades Intermunicipais de Viseu e de Castelo Branco.
“Chamam-me às vezes lunático quando continuo a defender a construção dos túneis da Serra da Estrela. Já o disse várias vezes em público e repito-o. Para mim, é uma solução importante, necessária e perfeitamente normal. Não será no ano de 2018, 2019 ou 2020, mas que se comece a discutir e que se comece a promover a construção dos túneis da Serra da Estrela”, disse hoje o autarca Esmeraldo Carvalhinho (PS).
O autarca falava em Manteigas, à margem da conferência de imprensa de apresentação da ExpoEstrela 2018, certame de divulgação das atividades económicas e potencialidades concelhias, que irá decorrer entre 10 e 13 de fevereiro, por iniciativa da Câmara Municipal.
Esmeraldo Carvalhinho defende a construção dos túneis de atravessamento da Serra da Estrela, na ligação Covilhã-Manteigas-Seia-Gouveia, “não numa perspetiva” de levarem gente a Manteigas, mas “pensando em duas regiões do país que têm neste momento economias com algum potencial, fixadas no distrito de Castelo Banco e no distrito de Viseu”.
Referiu que atualmente os “movimentos pendulares de pessoas e bens” entre estes dois distritos “têm de ser feitos pelo norte da Guarda ou pelo sul da Covilhã”.
“Imaginem, com os túneis da Serra da Estrela, de que forma é que [essa ligação] se faria muito mais cómoda, muito mais rápida e muito mais eficaz e com menos custos?”, observou.
Na opinião do presidente da autarquia de Manteigas, localizada no “coração” da Serra da Estrela, “são as Comunidades Intermunicipais de Viseu e de Castelo Branco, com os municípios da Serra da Estrela, que têm de defender os túneis”.
“É um trabalho que havemos de iniciar. Poderá ser inglório, espero que não, mas temos que iniciar rapidamente um trabalho junto dessas Comunidades [Intermunicipais] para percebermos o que é que pensam, mas, acima de tudo, para demonstrarmos esta nossa vontade e o nosso pensamento em relação a esta matéria”, sustentou.
O autarca de Manteigas defende que o projeto dos túneis deve “entrar no Plano Nacional Rodoviário”, pois as decisões desta natureza “são do poder central”.
Observou ainda que nesta matéria “nada é impossível”, dando conta da construção do túnel do Marão.
Fonte: Beira.pt

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Venha ao Teatro todo o ano «O Gigante»


Venha ao Teatro todo o ano

«O Gigante» pelo Teatro Regional da Serra do Montemuro

Dia 27 de janeiro 2018 | 21:30 horas
Auditório do Centro Cívico de Manteigas

Facebook - Manteigas - Vale por Natureza

sábado, 9 de dezembro de 2017

 2º TRAIL ZÊZERE E MONDEGO 2017

ORGANIZAÇÃO – Grupo Desportivo de Sameiro organiza, no próximo dia 10 de DEZEMBRO de 2017, em colaboração com a Câmara Municipal de ManteigasJunta de Freguesia de SameiroFederação Portuguesa de Montanhismo e Escalada e TERRAS DE AVENTURA, um evento desportivo em montanha denominado 2º TRAIL ZÊZERE E MONDEGO 2017. O evento é composto por dois percursos competitivos de corrida pedestre, respetivamente na distância de 21,3 km (TZM21) e 13,8 km (TZM13), uma caminhada não competitiva, na distância de 10,7 km e um conjunto de provas de atletismo para escalões jovens – Benjamins a Juvenis.
TZM21 foi nomeado XI CAMPEONATO DE PORTUGAL FPME DE CORRIDA EM MONTANHA 2017, da Federação Portuguesa de Montanhismo e Escalada e é válido, tal como o TZM13, para o calendário do CIRCUITO NACIONAL DE MONTANHA 2017 (www.fpme.org), iniciativas que se regem por regulamento próprio.
2º TRAIL ZÊZERE E MONDEGO 2017 rege-se pelo Regulamento Geral de Corridas em Montanha da Federação Portuguesa de Montanhismo e Escalada (www.fpme.org) e pelo presente regulamento específico em todos os aspetos não previsto no atrás referido Regulamento Geral de Corridas em Montanha.


sábado, 28 de outubro de 2017

Este domingo muda a hora

Este domingo de madrugada os relógios atrasam 60 minutos às 02.00

A mudança para o horário de inverno decorre já este fim de semana. 

Segundo a informação do Observatório Astonómico de Lisboa, este domingo de madrugada os relógios devem atrasar 60 minutos.
A mudança da hora deve ser feita às duas horas da madrugada (02:00), em Portugal Continental e na Madeira. Nos Açores, a mudança da hora é feita à uma da madrugada (01:00).
Esta mudança da hora vai vigorar até à chegada do horário de verão,  a 25 de março, de 2018. 
A mudança da hora é fixada por legislação comunitária, ocorrendo, até 2021, nos últimos domingos de março (horário de verão) e de outubro (horário de inverno).
Em Portugal, a hora legal é determinada pelo Observatório Astronómico de Lisboa.